• Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

© 2019 - Made with ♥ by Hero Corp.

DICA DE LUXO

Seguros inusitados cobrem de mordida de cachorro a fusões de empresas

28/02/2019

Se a intenção é se proteger dos chamados “sinistros”, quem opta por fazer seguros está encontrando muito mais do que a tradicional proteção aos seus carros e casas. Há um leque de produtos no mercado que dão coberturas surpreendentes: em casos de roubos de bicicletas, erros profissionais, ossos quebrados e até mordida de cachorro.

“Os serviços estão cada vez mais amplos para atender à demanda crescente de pessoas que querem ver protegidas coisas que consideram importantes ou mesmo ficarem asseguradas em situações de possíveis riscos. Por exemplo, há planos de seguro residencial que oferecem cobertura contra ataques caninos, indenizando o cliente pelas despesas médicas caso seu cão ataque a terceiros. Esse mesmo tipo de seguro também pode cobrir roubo de bicicleta, ainda que aconteça fora da residência”, diz a superintendente da Ilha Azul Corretora de Seguros, Karolynne Cavêdo.

Em caso de acidentes, existem seguros pessoais que cobrem especificamente situações em que haja ossos quebrados, oferecendo indenização por incapacidade temporária, se for o caso. O contrato também pode permitir o reembolso das despesas médicas durante o tratamento da fratura.

Cavêdo ainda lembra planos que cobrem os chamados seguros de responsabilidade civil profissional. Engenheiros, arquitetos, advogados e contadores estão entre os profissionais que podem aderir ao seguro que cobre erros profissionais que acarretem gastos judiciais e indenizações a terceiros, desde que não haja, no entanto, a intenção de causar o dano.

Também existem seguros que cobrem grandes fusões e aquisições de empresas. “Nessas operações há riscos não previstos na hora do fechamento do negócio. As apólices cobrem justamente prejuízos futuros do comprador caso algo inesperado ocorra em certo período após a transação. Além disso, muitas empresas passaram a adotar seguros contra danos ecológicos em projetos de infraestrutura, como rodovias e aeroportos”, acrescenta Cavêdo, ressaltando que as empresas vêm se protegendo ao máximo contra imprevistos que gerem prejuízos.

Outra proteção que as corporações vêm se interessando é contra ataques cibernéticos. “Há muitos hackers e golpistas digitais por aí e as empresas passaram a buscar cobertura para danos causados por violação de dados. Recebemos essa demanda recentemente e buscamos atender o cliente contra contaminação por vírus, erro de funcionários, perda de lucros por interrupção do sistema e até contratação de consultores para reparar a reputação da companhia”, frisa. 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload